Notas Extremas # 17


Hail Headbangers, informe se do que está acontecendo no Underground Nacional ,com nossso bloco de notas Extremas edição 17.

1)Nova Vocalista na Eden Seed: A banda Paulista de Heavy/Thrash Eden Seed anunciou que  Camila Postal é a nova vocalista da banda. A cantora já teve passagens pelas hordas Klamor e Vulto Abissal, sendo atualmente vocalista da Feeding Bats, ao lado de Gisele Marie Rocha, guitarrista do Eden Seed,completam a formação Leonardo Yasuhei (baixo) e Marcos Henrique (bateria)



2) Symptomen: Revela track list e capa do novo álbum: A banda de Heavy Metal oriunda de São Paulo divulgou a capa e o track list de seu próximo trabalho intitulado “Welcome To Brazil”, previsão de lançamento para agosto. 
Track List
01. Mud Of Death
02. Welcome To Brazil
03. Hail To The King
04. Toxic Life
05. Nation’s Disease
06. Born In Hell
07. Brazil I Am
08. Sinners
09. The End Of Our Days


3) Behavior: saída de baixista e novo vídeo clipe:  A Horda baiana Behavior confirmou a saída do baixista Marcelo Almeida de acorodo com o músico:“A decisão foi toda minha, saio muito bem de uma banda que há quase 10 anos sempre teve grande importância em minha vida, ficam as boas lembranças, shows memoráveis e muitas experiências”.

O Behavior, através do baterista Ricardo Agatte, agradece todo o empenho e os anos de dedicação do baixista. “Marcelo foi fundamental, ele saí com crédito, além de ser um ótimo amigo e agora produtor do nosso novo vídeo clipe”.

Em paralelo a banda esta produzindo com o seu agora ex baixista um clipe que trara imagens do show de lançamento do trabalho “Morbid Obssession(resenha em breve aqui no site)



4)Viper celebra relançamento do álbum "Vipera Sapiens" Atualmente formado por: Pit Passarell (baixo), Felipe Machado (guitarra) e Guilherme Martin (bateria), além do guitarrista Hugo Mariutti (Shaman, Andre Matos) e do vocalista Leandro Caçoilo (ex-Eterna, Hardshine, Sancti, Caravellus) o Viper confirmou um show especial de relançamento do do álbum “Vipera Sapiens” no Sesc Belenzinho, em São Paulo, no dia 8 de setembro (sábado), às 21h30. Os ingressos serão vendidos no site do Sesc a partir do dia 28 de agosto e serão vendidos por preços populares, com valores de R$ 6,00 até R$ 20,00.



5)Horário das apresentações do Agosto Negro: Um dos mais tradicionais festivais do Sul do país retornou esse ano com força total, O agosto negro acontecera nos dias 18 e 19 de agosto com mais de vinte bandas dos mais variados estilos indo do brutal Death Metal do Horror Chamber, para a sonoridade industrial e pesada da The Undead Manz, segue abaixo o horários das apresentações, estaremos la na cobertura.



Entrevista: Primator


  Heavy Metal no melhor sentido da palavra, se essa palavra basta para você se identificar com uma banda, então prepare se para pirar no Som da Primator, executado com muita garra, e com sangue nos olhos a Primator representa tudo o que esperamos de uma banda do autentico estilo musical que tanto amamos, uma entrevista feita por headbangers para headbangers:

1)Hail Primator! É uma grande satisfação para o Underground Extremo estar realizando essa entrevista com vocês. Somos originalmente um blog de metal extremo, porém não fechamos os olhos para grandes bandas, em outros estilos, então gostaríamos de começar esta entrevista com uma apresentação geral da banda e como foi o seu processo de formação.

R:André dos Anjos - É nossa a satisfação pela oportunidade de divulgarmos nosso trabalho. Independente da vertente, mantemos acesa a mesma chamada!
A Primator foi formada em 2010 por uma ideia concebida entre os amigos Rodrigo Sinopoli (vocal) e Márcio Dassié (guitarra), resultado comum da paixão ao gênero e a música. Ainda neste início, e também pelo círculo de amizade, se uniu André Anjos (baixo). Mais recentemente, e caracterizando uma segunda formação da banda, foram incorporados o Lucas Assunção (bateria) e o Felipe Fatarelli (guitarra).

2)A sonoridade de vocês é totalmente Heavy Metal clássico. Essa é uma escolha, em nossa opinião, sensacional, pois o verdadeiro Heavy Metal nunca vai morrer. Como vocês percebem a recepção do público ao som da Primator? Desde os primórdios da banda a escolha foi por essa sonoridade?

R: André - O estilo de som da Primator nunca foi pensado (pelo menos não desta forma) durante nosso processo de composição. Na verdade, ele tem sido resultado das influências comuns aos membros da banda e moldado a medida que as músicas vão sendo construídas. Mais do que uma escolha, ela foi um resultado natural. É claro que há um cuidado, principalmente neste segundo álbum em que estamos trabalhando, para direcionarmos as letras e músicas para um fim pensado previamente, mas durante o processo criativo procuramos não limitar nossas criações em função de um gênero ou formato pré-definido.
Sobre a receptividade do público, ela tem sido maravilhosa! Tanto a mídia especializada quanto o público geral têm elogiado bastante nosso trabalho e isto tem sido muito estimulante para nós.


3)Na biografia presente no site da banda é dito que vocês primeiros fizeram muitos shows na noite paulistana para depois se trancarem em estúdio para a gravação de Involution. A ideia era testar as músicas ao vivo antes de gravar ou esses shows eram mais focados em covers? A propósito, como anda a cena paulistana? Muitas bandas comentam que o mercado de bandas covers e tributos tiram o espaço das autorais. Como a Primator vê esta questão?
R:André - Na verdade não foi um teste, apesar de ter servido como (rs). Toda banda sonha e trabalha para este momento: o show, sendo esta a verdadeira razão e motivação do nosso trabalho. É um momento singular onde estamos diretamente conectados com aqueles que dividem da mesma paixão que nós e a oportunidade de mostrarmos o que pensamos e sentimos através da música, ao vivo. No início talvez esta ânsia tenha dividido nossas atenções, fato este que ajudou a levar o Involution a um processo mais longo de criação, ainda que nossos shows sempre tenham priorizado o trabalho autoral. 
A Primator já nasceu com esta proposta e nosso trabalho sempre foi orientado a este fim.
Sobre a cena paulistana, ela anda bem complicada! Realmente o espaço para bandas autorais em todas as vertentes de Metal, e mesmo do Rock, está bem escasso. E não por falta de bandas pois há muita coisa de qualidade sendo produzida, como os trabalhos de Psycothic Eyes, Armahda, John Wayne, Project 46, Inherence e tantos outros. Muitas dessas bandas com shows e turnês na gringa, o que comprova tal fato. 
Parte da falta de espaço se justifica sim pelas poucas e raras casas daqui que abrem espaço para bandas autorais, mas acreditamos que a grande responsabilidade desta problemática passa pela carência de público na cena. Atualmente as bandas vivem um cenário muito underground, com apoio de um público muito pequeno já que a atenção e incentivo do grande público está concentrada no mainstream. 
E é claro que as casas precisam de público e, consequentemente, retorno financeiro. Desta forma, enquanto o público prestigiar integralmente ao artista cover ou a grande banda, quase não haverá espaço para as novas bandas. O ideal seria um balanceamento nesta atenção desprendida pelo público: prestigiar sim a grande banda ou o artista cover, mas também acompanhar com frequência a cena renovada.

4)Um ponto de destaque da Primator é que a sonoridade da banda é “oitentista” porém com uma produção bem atual e cristalina. Acreditamos ser uma visão correta, mas vocês chegaram a ouvir alguma crítica dos mais “puristas” referente a essa escolha?


R: André - Como dissemos, nosso som reflete muito de nossas influências comum, como Judas Priest, Black Sabbath, Pantera, Iron Maiden... e por isso a “cara oitentista”. Uma característica que geralmente surpreende aos ouvintes são as linhas vocais do Rodrigo, potentes principalmente nos agudos, que são mais presentes no Power Metal. Mas geralmente as críticas são positivas (yeah, rs)!

5)Focando agora em Involution, gostaríamos que comentassem um pouco sobre o processo de criação do mesmo. Quais músicas já eram mais antigas na formação da banda e quais foram criadas para esse conceito do trabalho?

André - As primeiras composições da banda surgiram ainda em 2010, bem no início da banda, e foram Primator e Deadland. Na sequência vieram Erase The Rainbow, Let Me Live Again e Black Tormentor, ainda nos primeiros anos. Foi então que, olhando para as composições que tínhamos até ali, pensamos em trabalhar uma temática para um possível álbum, já que todas as músicas tinham um contexto similar e que poderia ser trabalhado sob esta perspectiva. Foi assim que realizamos as demais composições: Face The Death, Praying For Nothing, Flames of Hades, Caroline e Involution, estas com letras mais explícitas quanto a temática do álbum, até em função da cronologia da coisa, como vimos.
Por fim, dedicamos um bom tempo aos processos de gravação, mixagem e produção física das mídias para o tão esperado lançamento. Nós, assim como muitas outras bandas do meio, trabalhamos integralmente em todo o processo, além de dispor de apenas recursos próprios. Estes dois fatores, aliados a “inexperiência” (por ser um disco de estreia), nos consumiram bons meses de trabalho!



6)Involution pode ser chamado de um trabalho conceitual? Como vocês chegaram nos conceitos do biólogo Charles Darwin?

André - Achamos que sim, mas de maneira bem sutil. Como vimos, o processo de criação das músicas que compõe o álbum foi bem espaçado e, inicialmente, o conceito não existia (não explicitamente).
Quando pensamos em criar um conceito para o álbum a ser lançado, olhamos para as letras criadas até ali e observamos que elas remetiam, de alguma forma, ao caos e mazelas que vivemos na humanidade na atualidade. Isto nos permitiu o seguinte questionamento: seria o homem o próprio causador de suas chagas? Estaríamos ao ponto de causarmos nossa própria extinção?
Por fim, isto nos remeteu ao trabalho de Darwin, Origem das Espécies, e sua teoria evolucionista, porém em uma proposta contrária, supondo que o homem e suas criações (viabilizadas por tal nível evolutivo) nos conduziram a um cenário de degradação e destruição. Seria este fato o causador da “involução” de nossa espécie?

7)A banda Primator chegou a fazer alguns shows com Dark Avenger e o single To Mars teve a produção de Mario Linhares. Como foi o trabalho com esse musico brilhante e uma grande ausência para o Heavy Metal nacional?

André - Na verdade, tivemos a oportunidade de dividir um palco com o Dark Avenger por uma vez, em uma ocasião muito especial: show de lançamento oficial do Involution e comemoração dos 20 anos do primeiro álbum do Dark Avenger. Tivemos oportunidade de interpretar a música Dark Avenger (do Manowar) com o Mário participando dos vocais. Foi nesse encontro que tivemos a oportunidade de estreitar relações com o Mario e fomentar essa parceria. Ele nos presenteou com a composição “To Mars” e chegou a trabalhar conosco na produção da música. A ideia era ir além e tê-lo conosco na produção do novo álbum, mas, infelizmente, o destino assim não quis.
Tê-lo próximo, ainda que brevemente, foi sensacional. Poder experimentar seu conhecimento e absorver um pouco de sua experiência foi transformador. Ele foi um músico e compositor brilhante e sua obra fantástica, em diferentes trabalhos, será seu legado.

8)O monstro que aparece na capa será um mascote da banda e estará em próximos trabalhos ou ele foi criado exclusivamente para esse trabalho? E o que pode nos adiantar do próximo lançamento de vocês?

André - O mostro da arte de Involution não será um mascote. Ele, em conjunto com o restante da arte do álbum, foi a maneira que encontramos para representar na capa do álbum todo este conceito que o Involution carrega.
Sobre nosso próximo trabalho, ele ainda está em fase embrionária, mas acho que já dá para adiantar que ele também deve seguir uma linha conceitual e trazer bastante peso nas músicas. Acompanhem!



9)Infelizmente, ainda não assistimos um show de vocês e gostaríamos de saber como vocês descrevem uma apresentação ao vivo da Primator? Que sons não pode ficar de fora do set e, a propósito, estamos esperando por vocês aqui em SC onde temos grandes festivais e bandas de metal tradicional, como Stell Warrior, Orquídea Negra, entre tantas outras.

André - Rapaz, que pergunta difícil! Bom, nossos shows costumam ser empolgantes (acreditamos, rs). Temos grande preocupação com a qualidade do som entregue e com a experiência vivida pelo nosso público. O Rodrigo é um excelente frontman, tem muita energia e mantém uma boa interação com o público!
No nosso set já temos duas candidatas a favoritas: Deadland e Black Tormentor (a segunda com leve vantagem)! E estamos ansiosos por apresenta-las em Santa Catarina, um dia quem sabe...



10)Obrigado pela entrevista! Gostariam de deixar algum recado para os leitores do Underground Extremo?

André - Agradecemos novamente o espaço e convidamos a todos os leitores a nos acompanharem nas redes sociais, canais de mídia digital e, principalmente, em nossos shows! Um forte abraço e viva o metal brazuca!


Mais Informações:
www.bandaprimator.com.br
www.facebook.com/bandaprimator
www.soundcloud.com/bandaprimator
www.twitter.com/primatormetal


Entrevista em Vídeo: Adriano (Khrophus)

Estivemos a honra de entrevistar uma verdadeira lenda do Metal Catarinense, além de ser um grande músico ainda é responsável por grandes eventos no Estado,de SC com 25 anos de Underground o que temos aqui bem mais que uma entrevista, e sim uma aula. Sem mais delongas confira como foi nossa entrevista gravada no OTA 2018 



Notas Extrema #16


Hail Headbangers, vamos divulgar as notícias mais recentes que agitaram a nossa cena Underground:

1)Mudanças na Broken & Boned a banda de Groove Death Metal anunciou que esta a procura de um novo baterista, depois do lançamento do seu debut Hypocrisy Hymns o baterista Carlos Alberto Cerqueira, se desligou da banda sendo que a sua formação atual conta com: Rômulo Portela (vocal), Marcelo “Marshall” Alencar (guitarra) e Lucio de Paula (baixo). Interessados devem enviar e-mail para brokenbonedmetal@gmail.com ou entrar em contato pelas redes sociais da banda


.
2)Rock Soldiers: definido o elenco para a edição de vinte anos da coletânea
Produzida desde 1998 pelo músico, produtor e proprietário do selo UGK Discos, Marivan Ugoski, a coletânea Rock Soldiers definiu neste dia 9 de agosto, a relação das 22 bandas que farão parte do volume 24, que marca os vinte anos de existência deste projeto.
Neste mês de agosto começa a produção de áudio, escolha da capa e também a produção das mídias. “Esse mês fecharemos a matriz de áudio e o material gráfico, logo em seguida daremos entrada na fábrica”, declara, Marivan.
 Entre os nomes mais extremos destacamos: Viletale, Anatomy Corruption, Marreta entre tantas outras. 



3) Mudanças na formação da Balde de Sangue: Grande nome da cena extrema gaucha, Liderados pelo baterista e fundador Fabio Longaray, o mesmo não poderia deixar de recrutar grandes nomes da cena gaúcha para amadurecer ainda mais a sonoridade da banda que está transbordando peso e muita agressividade.
A nova BDS é formada por: Fabio (bateria), Mauricio Marques (vocal / ex-Charlar), Mário Ferrolho (guitarra / Ferrolho), Péia (baixo) e Dênis Lapuente (guitarra).




4) Sepultura no River Rock Mais um grande motivo para estar em Indaial/SC nos dias 7,8 e 9 de setembro, onde ocorre a 15ª edição do RIVER ROCK FESTIVAL. Isso por que a organização surpreendeu a todos anunciando um dos principais nomes do Metal mundial, o SEPULTURA!
O renomado grupo mineiro vem divulgando seu mais recente trabalho, o bem recebido “Machine Messiah”, e se juntará a aproximadamente 40 atrações dos mais variados estilos, ratificando ainda mais o RIVER ROCK FESTIVAL como ‘A Festa das Tribos’
Estaremos lá ..

5) Aniversário da A loja Heavy Metal Rock: Nossa parceira de longa data a HMRock fará 35 anos e no dia 08 de Setembro e ira fazer uma baita festa para comemorar sendo que as bandas que participarão será Armored Dawn com abertura da banda Rygel.


06) Novo single da As Dramatic HomageRecentemente resenhamos o EP ‘Enlighten’ e fomos supreeendidos pelo fato de a banda está trabalhando em um novo e inédito material de estúdio.
O grupo está no Thaf Estúdio, no Rio de Janeiro, registrando um novo single que receberá o título de ‘Consternation’ e está previsto para outubro deste ano.Claro que ele vai aparecer aqui pois essa é uma das banda que mais curtimos pela sua sonoridade difícil de rotular.



07) Shadows Legacy: novo single ‘The Final Act’ está disponível para audiçãoEstá disponível o mais novo trabalho do SHADOWS LEGACY, trata-se do single ‘The Final Act’ que pode ser conferido nas principais plataformas de música digital do planeta.
‘The Final Act’ foi gravado no estúdio Anúbis e produzido pelo músico, produtor e designer Aldo Carmine. Aldo também assina a belíssima capa do  Single 
 https://play.google.com/store/music/album/Shadows_Legacy_The_Final_Act?id=Bt5lmf7g6hjx2yeatx3zkrnjgqy&hl=pt
Este single, assim como o anterior, ‘Restless’, farão parte do novo álbum completo do grupo, segundo da carreira e que está previsto para este ano ainda! O trabalho será sucessor direto do premiadíssimo debut ‘You’re Going Straight To Hell’ de 2014.



Heavy And Hell Press: 4° edição da compilação “Collection” disponível

5 anos de muita luta e dedicação, assim caminha a HEAVY AND HELL PRESS completando mais este aniversário e claro que não poderíamos deixar de brindar quem nos acompanha com mais uma edição da coletânea “Collection”.



A capa do trabalho foi novamente desenvolvida pelo artista Everson Krentz em um trabalho mais rustico, nos moldes dos anos 90, trazendo aquela áurea simples, mas eficaz.

Ao total são nove petardos dos mais variados estilos que agradará em cheio os fãs do bom e velho som pesado.

Tracklist:
01 Carniça (RS) – Terrorzone
02 Methademic (PA) – River Of Blood In My Hands
03 Bloody Violence (RS) – Visceral Memories
04 Dislexia (PA) – Desonesto
05 Dust Commando (RS) – Parallel Realities
06 Dark New Farm (SC) – L.O.V.E.
07 Wael Daou (PA) – Mira
08 Balde de Sangue (RS) – Instinto Homicida
09 Embrio (PR) – Paradox Of Our Time

Faça o download agora mesmo e perca o pescoço de tanto bangear:


As Dramatic Homage: Enlighten- Densidade e Trevas

Algumas das bandas de sonoridade mais desafiadora da cena brasileira se formaram no Rio de Janeiro, difícil apontar os fatores que levaram a terras tão tradicionais de sol e praia produzirem hordas como Imago Mortis, Avec Tristesse e As Dramatic Homage entre tantas outras.

Formada em 1999, a horda tem na sua discografia duas demos A Deep Inner Recital e Atmosphere of Pain/Anthemns of Hate além de um espetacular debut Crown lançado em 2012, enquanto o próximo trabalho completo não vem a banda lançou o EP Enlighten, e sobre ele que essa resenha se refere.



Antes de mais nada se você não conhece As Dramatic Homage já é bom avisar que o som que ira encontrar não é deveras fácil de se classificar mas muito agradável de ouvir , digo agradável se você gosta de Black Doom e Avantgarde-metal e Death metal tal variância de estilos já demonstra o quanto relevante é o trabalho da horda.

“Advert “cumpre seu papel de introdução sendo bastante climática que abre logo caminho para “Astral Infernal”, que já é uma surpresa pois ela é muito mais agressiva mostrando um caminho que a banda poderá seguir aqui adiante. Logo depois “Praxis”,é riquíssima em melodias além de vocais mais limpos muito bem estruturados.

A faixa homônima “Enlighten” é o melhor dos dois mundos pois não abre mão da agressividade, mas tem uma beleza em sim que cria um clima tétrico, parte disso se deve aos vocais de Alexandre Pontes e os teclados de Leonardo Silva.

Para finalizar um cover de Moonspell uma das grandes influências dos cariocas, e a escolha não poderia ser mais exata pois “Full Moon Madness”, é um grande hino da banda portuguesa e o As Dramatic Homage conseguiu manter as características gerais da canção.

Para um EP o hype criado é fantástico esperamos que não demore muito para que venha o segundo álbum completo pois seguindo essa linha algo muito forte está por vim.



As DramaticHomage é:
- Alexandre Pontes (vocal/guitarra/programação);
- Alexandre Carreiro (guitarra)
- Leonardo Silva (teclado)
- Vinicius Rodrigues (bateria)






Programa Underground Extremo: novos episódios disponíveis

Perdeu nossos últimos programas na Mutante Radio, então acesse no Mixcloud, lembrando que o programa inédito vai ao ar todos os domingos a partir das 23:00 horas na http://mutanteradio.com/

Programa 004: Metal em Português

01 Azul Limão:Satã clama Metal 
02 Selvageria: Trovão de Aço
03 Blasfemador: correntes do Mal
04 Fuzilador:Hospital Infectado
05 Abate macabro: Abate macabro
06 Aggresion : Sabba das parteiras 
07 Mausoleum: Prepare se para negra guerra
08 Escaravelho do Diabo :Verme Jeová 
09 Desgraça Malidta: Ode a morte
10 Evil Emperor: maldição 
11GrotesqueSacrificio
12 Vulcano : Guerreiros de satã  Destruição total 
13 Facada: amanha vai ser pior
14 desalmado : todos vão morrer
15 Hutt : Porque paz se tenho a guerra / só pessoas 
16 Test Ele morreu sem saber porque 


Programa 005 Eventos no mês de Agosto

1 Tanatron: Tanatron
2Tanatron Toward terror
3 Alkanza: com força
4 Rhesthus: Big Anesthesia
5 Horror Chamber: Living Disease
6 Skombrus : Aim The Head
7 Funeratus: Accept the death
8 Pentacrostics Teather of redemption
9 Genocidio Kill Brazil
10 Chaoslace Blasphemy
11 Grave Desecrator: Insult
12 Apocalyptic Raids Im Metalhead
13Whispstriker: Negue a cruz e viva agora
14 Velho Satã apareça
15 Initate decay Spreading latent Hatred
16 Leviathan: The last Supper
17 Carniça terrorzone
18 Losna: Room 55


Especial Metal media 10 anos : Parte 03


Chegamos na terceira parte do nosso especial dedicado a Metal Media, onde estamos apresentando as banda, que fazem parte do Cast da assessoria que está uma década em prol do Metal Nacional.

1)Elizabethan Walpurga: mais enigmático que o próprio nome da banda é a sonoridade que ela pratica, a celebração da noite de Walpurga invoca uma sonoridade que transita entre o Black Metal e o Heavy Metal de uma forma, muito particular, formada no ano de 1994 , sendo que sofreu um hiato no ano de 2002 , voltando a ativa no ano de 2015.  Formada atualmente por: Leonardo "Mal'lak" Alcântara (Vocal)  Erick Lira (Guitarra) Breno Lira (Guitarra) Renato Matos (Baixo) Arthur Felipe Lira (Bateria)
Na sua discografia conta  com a demo Desire de 2001, um split com a banda   Lord Blaphemate,e o cd de estreia “Walpurgisnacht” 


https://www.facebook.com/elizabethan.walpurga/                  
2) Encéfalo: Surgiu em 2002 em Maracanaú, região metropolitana de Fortaleza, sendo que desde o seu primeiro lançamento em 2008 com a Demo intitulada ‘Destruction’a banda já rompe as barreiras entre o quem vem a ser, Thrash /Death  atualmente formada por: Henrique Monteiro ( Vocal/Baixo)
Laílton Souza (Guitarra) e Rodrigo Falconieri ( Bateria)

Em 2002 Lançaram Slave of pain que é até hoje um dos meus trabalhos favoritos da cena do metal nacional, sendo que sucederam trabalhos cada vez mais agressivos, Die to Kill de 2015 e o verdadeiro massacre Deathrone, lançado esse ano e estará sem dúvida na nossa lista de melhores do ano.


3) Endrah: Uma banda que teve na sua formação "apenas" Covero, Fernando Schaefer e T.J. A princípio a banda se chamava INK mas como já havia outra banda com esse nome em 2004 mudou para  Endrah formada atualmente por:  Relentless (Vocal), Covero  (Guitarra) Adriano Vilela (Baixo)
Henrique Pucci ( Bateria)

Com uma capacidade de transitar entre o Hardcore e o Death Metal a discografia da banda possui o EP Demonstration de 2004,  além de três cds que são : Endrah de 2006,   The Culling de 2012 , sendo o EP  Shoot, Shovel, Shut Up o último lançamento mostrando algumas mudanças na sonoridade da banda.

https://www.facebook.com/endrah/

4) Evil Sense: Banda paulista formada  2000 e conta atualmente com os seguintes integrantes: Wagner (Capú) (Guitarra e Vocal) Thiago (Suco) ( Guitarra) Hugo ( Baixo) Ricardo( Bateria), com uma sonoridade que vai do Heavy Metal ao Death, como eles mesmo dizem, eles curtem é tocar Metal.
Ao longo da sua trajetória no Underground possuem três demos e no ano de 2017 lançaram o full Fight for Freedom, uma verdadeira pancadaria que em breve resenharemos aqui e vale dizer que capa foda.


Fenrir’s Scar: A fera que devorou Odin, batiza esse  septeto que apresenta uma sonoridade, que pode ser rotulada como Metal Alternativo, Moderno, ou apenas Metal na verdade isso que importa , formada por:Desireé Rezende (vocais), André Baida (vocais), Paulo “Khronny” Victor (guitarra), Gabriel Rezende (baixo), Graziely Maria (teclados) e Ildécio Santos (bateria)  logo no seu trabalho de estreia conseguiram imprimir identidade própria .


Mesmo com a presença de vocais femininos, não espere uma banda de Gothic Metal genérica, cada música apresenta elementos, variados e passa bem longe dos vocais operísticos, um nome que ainda vamos ouvir falar bastante  pode anotar.


 https://www.facebook.com/fenriscar/

Continua....

Imperious Malevolence: Decades of Death - Honra ao Metal da Morte


Décadas de dedicação ao Metal da morte, tal titulo já mostra que não estamos frente a uma horda, que simplesmente é sinônimo de agressividade e peso, afinal de contas qualquer banger que conhece um mínimo do Death Metal nacional sabe da importância do power trio paranaense.

Nesse quinto trabalho, (sem considerar eps, dvd etc...)você não encontrara inovações na sonoridade ou referências ao Death Metal moderno, e na minha opinião é exatamente isso que espero do Impreious Malevolance, um trabalho vigoroso que ira com certeza causar algumas dores no seu pescoço



Entretanto é preciso dizer que a sonoridade é algo mais limpo e isso é um ponto extremamente positivo ´pois todos osa instrumentos estão mais audíveis e ao mesmo tempo orgânicos, você consegue ver a qualidade e principalmente a garra dos músicos, a saber são Antônio Death(Baterista e fundador da horda), Danmented nas guitarras,( maníaco também a frente do Axecuter) e a estreando Fernando H. Grommtt no baixo e vocal.

Apresentações feitas prepare se para a destruição, “Perpetuação da Ignorância” , um arrasa quarteirão em português, experiência essa que já foi utilizada pela banda algumas vezes, e simplesmente brutal, na sequencia temos "Ascending Holocaust”, ainda to tentando entender como Fernando consegue cantar e fazer linhas tão complexas de baixo ao mesmo tempo, o mesmo vale para No Return.

Um clima claustrofóbico forma se ao som de Hellfire’s Cruelty” e "Imperious Malevolence" tem a honra de batizar a horda e demonstra ser um dos sons mais elaborados de todo o trabalho,e para fechar o trabalho um presente para os fãs das antigas, Arquiteto da Destruição uma musica que simplesmente nunca pode ficar de fora das apresentações da banda.

Trabalho não recomendado para fãs de musica fácil e agradável, Decades of Death é extremo, violento e impiedoso, em outras palavas Death Metal.


Tracklist:

1. Perpetuação da Ignorância

2. Ascending Holocaust

3. Ominous Ritual

4. The Hellfire’s Cruelty

5. Nocturnal Confessor

6. Where Demons Dwell

7. Imperious Malevolence

8. No Return

9. Excruciate

10. Arquiteto da Destruição



Notas Extremas # 15



Hail Headbangers,como é tradicional aqui do Site, vamos divulgar o melhor do que ocorre na cena Extrema nacional.

1) Novo vídeo da Vulcano: A lendária banda Vulcano divulgou vídeo de um dos verdadeiros hinos do Metal Nacional, "Guerreiros de Satã música que está presente no trabalho “Tales From the Black Book”, e mostra todo o poderio da formação atual, a tempo de dizer que a banda esta com algumas datas já marcadas.

25/08 - Caraguá Extreme Fest – Caraguatatuba/SP
29/09 - Setembro Negro Festival – São Paulo/SP (Ao lado de Razor, Taake, Coven e muito mais)
06/10 - Pagan Fire Fest Bolivia - Cochabamba (Headliner com Enthroned, Purgatory e NevoChaos)
21/10 - Festival Febre Sorocaba – São Paulo/SP


2)Novo Lyric vídeo da Imperador Belial: está bem próximo o lançamento do CD Curse Of Belial”, e para prepara os headbangers para o massacre que está por vir a horda lançou o lyric video da música “Acheron”, confira:


Assim que o trabalho for lançado resenharemos aqui no Site.



3) Headhunter D.C banda relançará “Punishment At Dawn” Um dos maiores clássicos do Death Metal nacional ganhara uma nova versão, que além de bônus que já são tradicionais nos relançamentos da banda como o primoroso relançamento de  Born...Suffer...Die’, o Layout do digipack será feito por Fernando Lima do Drowned, além disso tudo o relançamento virá com um DVD com show e entrevista para a TV, aguardamos esse que será um dos melhores lançamentos do ano.


4) Novo documentário do Heavy Metal On Line: O trabalho do Heavy Metal On line capitaneado por Clinger Carlos Teixeira é uma referencia não só para nós das mídias como para todos os bangers que querem saber mais da cena brasileira, mantendo a qualidade e a opinião de quem entende e muito do assunto saiu o novo vídeo dessa vez com a cobertura do Megarock , e citação a bandas lendárias do metal nacional como Genocídio e o lendário Korzus, assista: 









Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas