Cobertura 3° O SubSolo Rock Festival

Com determinação, empenho e força de vontade é possível atingir resultados inimagináveis. Com certeza tal frase define o que foi essa terceira edição d'O SubSolo Rock Festival, que a mídia é um dos principais veículos de informações  de Rock e Metal do país não resta e organizar um evento onde temos como headliner um dos maiores nomes do Metal nacional é a comprovação desse argumento, não há duvidas O SubSolo é gigante.

Na parceria com a casa de Show Colher de Chá que ofereceu uma grande estrutura, uma aparelhagem de qualidade, e todas as condições para que não só o Headliner do evento como todas as bandas participantes fizessem excelentes apresentações.

A passagem de som do Angra atrasou um pouco o coronograma de horários então muitas bandas tiveram o seu set list reduzido, mas era visível que ninguém queria perder a oportunidade de se apresentar para um grande publico, e isso foi uma surpresa bem legal, a presença do publico claro que já tivemos eventos com muito mais headbangers, mas quantas bandas hoje em dia conseguem reunir mais de 600 pessoas?

Abrindo o festival tivemos a banda Antitese, não conseguimos assistir toda a apresentação mas quem chegou mais cedo falou que a banda chama muito atenção por sua energia no palco principalmente a vocalista Talita Oliveira que tem uma voz forte, destaque para sons como:  "Estátua" e "Ser Igual".



Impressionante o quanto a Syn TZ vem rodando o Sul do país com a sua Heavy Load tour, por´me mais impressionante é o que essa banda faz ao vivo, com uma pegada Heavy tradicional com elementos de Thrash em alguns momentos, é impossível ficar parado no show deles seu pescoço começa a bangear  em musicas como The Decline  e Headbangers



Na sequencia tivemos a Alkanza que a cada apresentação trás consigo uma devastação, difícil até entender o que acontece pois o publico pode parecer bem tranquilo até a banda começar a tocar e ai temos rodas de mosh, e muita violência tanto no palco como na audiência. Fazendo a divulgação do seu mais recente trabalho- Caos Codificado lançado esse ano,por isso o set apresentou sons como Desistir jamais, Vala ou Viela, Enganando o Destino, além, dos já clássicos recentes da banda como Brasil, e Em coma.


Nekros, é a contradição do ditado santo de casa não faz milagre pois a banda mostrou que a volta a ativa foi um presente para os fãs de musica pesada, com um pegada que vai de Nervemore a Metallica com um destaque especial para os solos em cada musica era apresentado uma série de solos e bases forte que cativaram a todos que ali estavam presentes.


Dark New Farm sobe nos palcos e tendo um tempo mais curto a banda optou por não apresentar mais covers, e sim sons autorais, quem conhece a banda sabe que ela esta indo para uma direção em que é difícil definir sua sonoridade e isso é o seu diferencial, some a isso letras que não se omitem de expressar opiniões como Madre( Expõem a violência contra a Mulher) L.O.V.E ( contra a homofobia) e a banda aproveitou para divulgar seu mais recente som If Cloud que deve estar presente nos seus próximos lançamentos.



Vox Ignea fechou o evento e para nós, foi uma grande revelação do festival. A banda de Hard Rock veio de São Paulo, e fez um som energético, com destaque para a cozinha da banda bem entrosada, solos excelentes e o vocal de Raquel Lopes como canta essa moça ela da uma teatralidade interessante para a sua performance, em letra bem sacadas como: Bêbada de Rum e Agora é minha vez



Chegou a hora do grande headliner do festival, o Angra  acompanhando um pouco mais de perto a produção sei como foi difícil toda a montagem do festival e ver esse grande nome do Metal Nacional presente no fest foi gratificante.

A banda esta iniciando a turnê Magic Mirror, que como Felipe Andreoli respondeu em uma entrevista no Site o Subsolo para o redator Vinicius Saint, a proposta desses shows no Brasil antes de voltar para a Europa é mostrar um pouco mais do trabalho OMNI antes deles entrarem em estúdio e começarem a gravar novos registros. Por isso mesmo que the caveman , Black Windows Web com Lione fazendo os guturais e Rafael fazendo a parte da Sandy, Magic Mirror e a carismática Insania.



Outros trabalhos foram lembrados como Secret Garden presente com Newborn me, Temple of Shadows aparece com Waiting silence e a primeira surpresa Morning Star. Outra que foi surpreendente ver ao vivo foi Mileniun Sun, do Rebirth e esse álbum é sim um grande diferencial na banda pois tivemos também a faixa titulo e Nova Era.

A formação nova esta bem entrosada, eu já assisti alguns show do angra e surpreendentemente com formações diferentes, mas um ponto em comum sempre formada por músicos acima da média E Lione carrega bem a responsabilidade de cantar faixas gravadas por dois grandes vocalistas nacionais.

Ao final do show os últimos a saírem do palco forma Rafael Bitencourt e Felipe Andreoli, os mais veteranos da banda , mostrando que renascimento sempre sera uma característica da banda paulista e que ao vivo eles são ainda mais impressionantes




Um festival que ficara na memoria de todos os presentes e que mostrou a força da mídia o subsolo e do metal nacional, seria muito fácil apenas reclamar da cena mas o pessoal por trás desse evento decide trabalhar e fazer a diferença e quem ganha com isso somos todos nós.

Mais fotos no link: https://www.facebook.com/pg/CasaDeArteECulturaColherDeCha/photos/?tab=album&album_id=2417452254966142&ref=page_internal

Registros de: Juliana Waterkemper

←  Anterior Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas