Cobertura de Evento: Lvna Festival Online - III

Em tempos de pandemia, que ao contrário do que muitos pensam, não  acabou, os festivais online estão sendo uma forma de união entre bandas, público e produtores de forma geral, onde todos saem ganhando de alguma maneira, seja com divulgação de seus trabalhos, ou como também, para nos ajudar a manter um pouco a nossa sanidade mental nessa época de isolamento. Hoje as 19 horas foi ao ar pelo canal Lvna no Youtube Lvna Festival Online - III.

A seguir vocês conferem a nossa análise sobre esse evento e se você quiser saber mais sobre as bandas que nele se apresentaram, confira o vídeo pré-festival que produzimos e que se encontra disponível em nosso canal do Youtube (aproveita e se inscreve)



1) Melissa Giowanella - Expurgo:  com trilha sonora feita pela vocalista Tati Klingel. O trabalho artístico e fotográfico da Melissa foi algo que provou toda a beleza do sombrio.

2) Soturna - Cursed by Perfection: Com uma sonoridade que tem elementos do metal tradicional, principalmente na cozinha da banda, aliada a vocais operísticos e a um vocal masculino. O som apresentado deu uma amostra de como o estilo 'gothic' é forte no Brasil. Na apresentação da banda, citamos o Ophaned como referência, e acredito que não erramos.

3) Darkship - I' be there with You:  Queria muito ver como soava a sonoridade dessa banda ao vivo, ainda não conseguimos, mas o vídeo apresentado deu uma ideia e claro, toda nossa ótima impressão, se confirmou! O violino dessa banda da um ar especial de pompa e classe para o som e não pense que o peso se perde, pelo contrário, melhor que muita banda gringa famosa e digo com tranquilidade.

4) Finita - Valsa dos Exumados: Nós  simplesmente amamos essa banda e vamos com ela até o fim! Um destaque especial foi a explicação que a vocalista Luana deu sobre o conceito da música, o que tornou ela ainda mais especial. O Finita é gigante e merece o reconhecimento de todos os 'bangers'.

5) Alocer - Blood Rain From the New Age: Primeira representante do 'black' metal. A horda Alocer vem de Santa Catarina trazendo a 'frontwoman' Larissa, que já conhecíamos por intermédio da Spiritus Diaboli. Vale destacar como a presença dela incorporou-se muito bem na Alocer, um dos melhores nomes do metal negro catarinense, 666!

6) Crucifixion Br - A few Lies of your Whole Light: Responsável por um 'Blackened death' metal de extrema qualidade e talento! Quem não conhecia a banda pode ter se impressionado com o massacre que eles executam. Juliana Novo não tem piedade com seus pedais e o vocalista Max é uma grande influência para esse que vos escreve!

7) Vetitum - Still Living: Banda de Pelotas/RS que liberou antes do vídeo uma apresentação da banda e essa ideia é sensacional, pois rememora a história da banda. O vídeo intercalou passagens de shows ao vivo, o que da sempre aquela vontade de voltar logo a se quebrar no 'mosh'. Ah, e uma errata, no nosso vídeo de apresentação, falamos que a banda apresentava vocal feminino e masculino, o que, na verdade, é só vocais femininos. Os guturais de Paula Oliveira são poderosos demais, diga-se de passagem. 

8) Silent Cry - Resolution: A volta da Silent Cry foi uma das melhores coisas desse ano. E voltaram com Juliana Rossi trazendo uma energia a mais, o que é vísivel ao observar como  a Silent voltou declarando - "é tudo nosso, somos a Silent Cry, uma das pioneiras do estilo no Brasil!". Sou suspeito para falar, e ainda tocaram uma das minhas músicas favoritas deles do álbum "Hypnosis" (2016). 

9) Miasthenia - Coniupuyaras: "- Resistem as amazonas!". Faixa do álbum "Antípodas" (2017),  e o que dizer do Miasthenia? Melhor banda de 'pagan' metal do Brasil! Todo o som é uma aula de história e de como o som extremo nunca deve ser alienado e vazio. 

10) M26 - Véu da Ilusão: Se um dia te perguntarem como a música se representa em forma de arte plena, só mostre esse vídeo do festival! O 'dark' metal é assim, um estilo transgressor que tem na sua amalgama o peso e a poesia. 

11) Sidus Atrum feat Margarita Arabadzhieva - Ghost Song Lullaby of The Lost: A atração internacional desse festival apresentou um 'feat'. O projeto é uma 'one woman band' liderada por Yulia e trouxe o 'feat' com a vocalista Margarita Arabadzhieva, criando assim uma música que transita entre uma melodia que remete a uma música de ninar, até os vocais de Yulia te arrastarem para o inferno! A cena do Leste Europeu vem crescendo muito e um parabéns especial para a curadoria do festival, que soube trazer um excelente 'cast'!

Correndo o risco de ficar repetitivo, mas o talento, o profissionalismo, a dedicação e o esmero que envolve tudo que leva o nome LVNA é inspirador, e que venha o LVNA IV!

Se você não conseguiu assistir a este evento, confira agora mesmo:


Contribuição, revisão e edição por Carina Langa.