{lang: 'en-US'}

sábado, 22 de fevereiro de 2020

Resenha #132: "Brochas From Hell" - Crotch Rot

Quem acompanha nosso 'site', sabe que nessas épocas de carnaval, decidimos sempre explorar mais a fundo a podreira nacional. Desde que assisti a apresentação dos paranaenses do Crotch Rot, no Maniacs Metal Meeting em 2018, fiquei impressionado devido a tamanha desgraça que eles fazem ao vivo, comentei até na resenha do evento que eles fizeram o público se sentir em uma edição do Obscene Extreme Festival.


Já dissecamos o EP "Pata De Camelo", confere aí:

Agora chegamos no 'full' "Brochas From Hell" e se o EP, já tinhamos taxado como insano, imagina um registro mais completo.

As características do grupo estão intactas, ou seja, um humor ácido, que na primeira audição pode lhe parecer somente pornográfico, mas aí está a jogada, eles se utilizam dessa linguagem para tacar o dedo do meio na cara da sociedade de forma geral, ridicularizando desde os modismos do metal, até os pensamentos de misoginia tão fortes atualmente. 

Então, uma linda e poética 'intro' que nos questiona "O que é fazer amor?", dá início ao trabalho, seguindo um som instrumental para já ir afastando as crianças da sala, estão avisados! Então Sarra Aérea impressiona com os vocais de Muringa rápidos e alternando-se o registro todo, e pior, ao vivo ele é mais doente.

Misoginia não é fetichismo, com essa mensagem Brochas From Hell é a faixa que dá nome ao trabalho, sendo uma das melhores do álbum, note como ela vai intercalando velocidade e nos entrega um refrão grudento. Pela Teta De Fora e Lançamento De Feto Na Paulista colocam alguns efeitos na vozes que fazem o trabalho ser puramente 'goregrind', ambas com menos de dois minutos, o que, claro, a gente adora.

Confesso que não estava pronto para algo como X-Gordinha. Pode usar 'funk' no 'gore grind'? Sim... Porque não? Chegando ao seu encerramento, temos a maior faixa, com pouco mais de três minutos vem Dialética do PauMolho Madeira e Orgia de Crackudo ambas do "Pata De Camelo", que são bem no estilo exatamente Crotch Rot.


Com uma visão crítica e liberdade artística invejável, o Crotch Rot não faz a menor questão de agradar ninguém! E se as letras aqui te deixaram incomodado ou revoltado, pode ter certeza que os objetivos deles foram alcançados.

TRACKLIST:
1) Intro
2) Sarra Aérea
3) Brochas From Hell
4) Pela Teta De Fora
5) Lançamento De Feto Na Paulista
6) X-Gordinha
7) Dialética do Pau
8) Molho Madeira
9) Orgia de Crackudo

FORMAÇÃO:
Muringa - vocal;
Cynthia - guitarra;
Angela - baixo;
André - bateria.


Contatos:

Revisado e editado por Carina Langa.

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas