Melhores do ano parte 4: Heavy Metal



Hail headbangers , apresentamos agora a quarta parte das seis que fazem parte do nosso especial de melhores do ano , e dessa vez com uma novidade, listamos trabalhos de Heavy Metal , por mais que o blog seja especializado em metal extremo, estamos sempre firmando nossos compromissos de honrar e divulgar nossa cena nacional. Lembrando que a ordem apresentada é alfabética e que muitos lançamentos ficaram de fora, segue a lista:

1) Axes Conection: A Glimpse of Illumination Tendo na sua formação músicos de longa data da cena gaucha não espanta o fato desse trabalho aparecer na lista como melhores do ano , porém só a experiência não seria o único fator para elogiar o trabalho some a isso influencias de Heavy tradicional e Hard e uma bela homenagem póstuma , vale a pena conferir Destaque para os sons: “Wisdom is the Key” , “The Gates” “The True Connection”


2) Dark Avenger: ‘The Beloved Bones: Hell’ Um álbum que gera um misto de sensações, sem duvida um dos melhores lançamentos do metal nacional em anos, porém a alegria de ouvir um trabalho tão técnico e primoroso , compara se a dor de saber que foi o ultimo trabalho de Mario Linhares, o que tem nesse trabalho é uma aula de interpretação e vocal Destaque para sons : TODOS
3) Daydream XI: The Circus Of The Tattered And Torn O censo comum classifica o som desse grupo gaúcho como prog metal mas a sonoridade deles é tão relevante e forte que fica difícil de classificar em apenas um gênero especifico, nesse trabalho a banda eleva se da categoria de promessa para um dos grandes representantes do metal nacional, super indicado para fãs de Symphony X por exemplo, Destaque para sons: “A Cup Of Agony”, “Trust-Forged Knife”, “Collector Of Souls” 


4) Drealylands No Poetry Lasts: Dez anos depois uma das mais tradicionais bandas de Salvador retornaram e sua proposta ETA bem equilibrada no Heavy metal tradicional porem com partes bem grooveadas que são bem vindas saudoso retorno e esperamos que se mantenham na cena. Destaque para sons: “ Collateral damage”, “Incerto Adeus” “Demophobia 


5) Fire Strike: Slaves of Fate è gratificante ver as bandas mais novas se guiando pelos medalhões do estilo e fazendo aquele metal tradicional que tanto gostamos com muitos duelos de guitarras solos e uma vocalista talentosa , pois bem o álbum dos paulistas da Fire Strike tem elementos mais Heavy e uma pitadas de hard rock fazendo um trabalho longe de ser datado. Destaque para os sons: “Reach for your life”, “Masters of the Seas” e” Losing Control .




6) Pastore: Phoenix Rising O simples nome Pastore já nos remete a metal de qualidade, o vocalista não decepciona e a cada trabalho seu vocal esta mais potente as musicas nos levam a tocar air guitar de maneira imediata, sabe aquelas canções com jeito de hino , pois bem estão aqui, Destaque para sons: “March of War”,”Symphony of fear” “No more lies”


7) Selvageria: Ataque Selvagem:  Metal tradicional brasileiro, cada palhetada cada grito aqui é um tributo a tudo que foi feito na nossa cena desde os pioneiros centúrias, stress, azul limão até as banda mais recentes que mantém viva a chama do metal, trabalho esse que de vê ser proibido de se ouvir no volante pois pode causar acidentes de alta velocidade Destaque para os sons: “Selvageria”, “Efeito Cortante” e “ Cavaleiro da morte.”


8) Shadowside Shades of Humanity Uma banda que se superou se renovou e hoje é uma grande referencia assim podemos apresentar a Shadowside que desde Teather of shadows, vem mostrando um metal forte e conciso, se os primórdios apontavam para o metal melódico o que eles apresentam nos últimos trabalhos é um metal moderno pesado e muito mais muito bom, e nesse trabalho demonstra que a espera valeu a pena . Destaque para os sons: “ Beast Inside”, “The Crossing”, “Alive”


9) Souslpell: The Second Big Bang Há tempos que venho dizendo o discípulo superou o mestre a tempos que o trabalho desenvolvido pelo Souslpell metal opera é muito mais interessante que o próprio Avantasia, isso porque aqui as musicas são importantes não só os músicos que participam dela,além do conceito temático ser bem interessante. Destaque para os sons : “The Second Big Bang,” “The End You'll Only Know at the End” e “Horus´s Eye”




10)Válvera: Back to Hell : Mudar o idioma, e colocar os dois pés no acelerador, foi com essa proposta que a Válvera chega no seu segundo trabalho,e posso afirmar sem sombra de duvida que acertaram a tempo de dizer o show deles no Maniacs Metal Metting foi matador resenha em breve no site Destaque para os sons: “Demons of war”, “Gates of Hell”e “The traveller”



texto escrito por: Luiz Harley Caires 

←  Anterior Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas