Entrevista #36: Igor Giroto - "Baile do Capiroto"

Não tem jeito, 'Headbanger' gosta de vestir a camisa, pois não basta gostar do estilo, nós sempre queremos fazer algo a mais, colar em 'shows', comprar 'merchans' (quando o dinheiro dá), além de divulgar nossas bandas e sons favoritos. E quando é possível, porque não aproveitar a democratização da 'internet' para fazer essa divulgação. Inspirados nessa visão, temos vários canais do Youtube, que inclusive somos fãs, como o Flashbanger, o Barbônico, o Meninos da Podreira e o Baile do Capiroto, o qual tivemos a honra de fazer um baita bate-papo que você pode conferir agora:


1) Hail Igor! Primeiramente, obrigado pela entrevista. Gostaríamos de iniciar nosso papo, contigo apresentando a si e ao seu canal, o Baile do Capiroto. Emendando, quando surgiu a você essa ideia de falar sobre metal extremo no Youtube

R: Salve pessoal! Primeiramente queria agradecer o convite e a oportunidade de falar um pouco sobre o BDC. Bom... Me chamo Igor Giroto e a ideia do Baile surgiu em 2014, mas só saiu do papel mesmo em 2017. A ideia inicial era para ser um blog, onde eu contaria a relação que tenho com a música, como comecei a ouvir som... Esse tipo de coisa. Mas os anos foram passando e acabou que rolou de fazer um canal. Quis fazer o canal que eu gostaria de assistir e que na época não tinha muitos canais falando das bandas que eu gostava. 


2) Maratonando todos os vídeos, ficou fácil identificar os tipos de sons que você mais curte falar, mas gostaria que comentasse como foram seus primeiros contatos com o 'Heavy' Metal e quais bandas você anda ouvindo atualmente?

R: Comecei ouvindo 'rock' em 99, mas era a maior salada. Era Raimundos, com CB Jr., com Nirvana, Metallica, enfim... Não entendia muito bem de discernir os estilos. Mas meu primeiro contato de verdade com o metal acredito que foi com Iron Maiden. Um amigo chegou pra mim e disse: “Cara... pega esse CD pra você, escutei e achei uma merda.” Era o "Killers" do Iron, hahaha. E aí pirei de vez. O pai desse meu camarada me mostrou Black Sabbath e Deep Purple... E alí foi plantada a semente. Atualmente eu tenho ouvido muita banda nacional, tipo Sangue de Bode, Eskröta, Imminent Doom, Infamous Glory, Surra, Desalmado, Manger Cadavre?, Institution, várias bandas ótimas que a cena nacional possui.

3) Muitas das bandas que o Baile do Capiroto indica são totalmente 'Underground'. Analisando o perfil da nossa cena, você acredita que estamos melhorando a nível de divulgação e apoio às bandas ou ainda estamos muito distantes de poder dizer que as bandas brasileiras recebem merecimento por parte dos 'bangers' brasileiros?

R: Acredito que sim e que não ao mesmo tempo. Brasil tem MUITA banda excelente, que faz o corre, que faz evento, que toca, que montam coletivos. Acho que a parte mais difícil da cena é fazer a molecada sair de casa. Por outro lado, tem uma galera mais velha saudosista pra caralho que acha que o que era bom já foi feito e que hoje em dia é tudo uma bosta. Já ouvi dono de loja de disco dizendo que “antigamente a música era feita de jovem para jovem e por isso dava tão certo”. Isso só mostra como a pessoa vive numa bolha “oitentista” e não enxerga toda uma produção que se tem feito hoje em dia. 

4) Comente um pouco do percurso da produção de um vídeo seu, desde a escolha do tema que vai ser resenhado até o momento que ele vai para o Youtube:

R: É bem simples na verdade. Escolho uma banda ou assunto que quero abordar, monto uma pauta bem simples e sento para gravar. O que mudou de alguns vídeos para cá é que sempre tento atrelar a política com a música. Acho importante contextualizar a parada. Quando gravamos o vídeo “Napalm Death é amor”, por exemplo, falamos sobre a banda, mas sobretudo sobre a mensagem que a banda passa.


5) O Baile do Capiroto além do canal do Youtube, também tem a sua página no Facebook e seu perfil no Instagram, mas você já cogitou em ter um site, ou blog, para escrever suas resenhas? E na sua opinião, ainda existe espaço para mídia escrita e até mesmo as impressas, como fanzines?

R: Eu acredito que tenha espaço sim. Eu mesmo acesso semanalmente o RaroZine do German. O cara faz um conteúdo fantástico e tem muito amor pela escrita. E o cara faz um canal também, provando que as paradas podem coexistir. Uma mídia não anula a outra. Eu particularmente não fui adiante com o site porque sou muito enrolado e preguiçoso. O canal mesmo até hoje, eu não administro da forma que acho que seria ideal. Um dia crio vergonha na cara. 

6) Nós somos uma mídia do sul do país, e você de São Paulo. Gostaria de saber como está a cena 'underground' de seu estado. Nós sempre observamos que o pessoal reclamava muito de casas grandes abrindo espaço para 'covers', essa situação se reverteu? E você, curte algumas bandas aqui da região de Santa Catarina?

R: São Paulo é muito grande né? Então, tem final de semana que tem 2...3 'rolês' para fazer no mesmo dia. Galera que frequenta 'rolê cover', eu nem considero participante ativo da cena, 'saca'? Muitas vezes é a pessoa que na volta do 'trampo' quer tomar uma cerveja ouvindo um Guns n’ Roses e depois vai pra casa dormir. Eu vejo muitas casas que originalmente não eram espaços para metal e que hoje abraçaram, pois precisam faturar. Carioca Club é um bom exemplo disso. Uma casa de pagode que recebe o Overload Fest, por exemplo. Acho que o que falta são casas focadas em 'rock'. Mas a real falta de público não viabiliza o 'rolê' continuar... Então a galera tem que diversificar. A Associação Cultural Cecília aqui no centro da cidade é um exemplo muito legal... tem 'rolê' diversificado, sonoramente falando, e além disso, quando rola 'rolê' de metal/'hardcore', além da música, tem venda de 'rango' vegano... 'flash tattoo'... Coisas que agregam e ajudam a levar mais público. Bandas de SC? Deixa eu ver de cabeça aqui... Cäbränegrä, Hauser, Red Razor, Homicide


7) Vivemos tempos estranhos, onde a cultura e por tabela, a música extrema, parece ameaçada por um falso moralismo cristão e conservador. Você acredita que esse cenário pode vim afetar ainda mais o 'Heavy' Metal no Brasil?

R: Eu acho que o pensamento conservador sempre vai atrapalhar. Dentro e fora do metal. É esse tipo de pensamento que não dá espaço para as bandas de 'mina', para as bandas 'queers'... Não aceita mudança e deixa a cena estagnada e velha. Esse papo de “minha bandeira é o metal” é a pior merda que existe. Porque nessas você dá margem para bandas com postura fascista, homofóbica e misógina tocar no seu evento ou ter espaço na sua mídia... etc. Metal cristão, pra mim não é e nunca foi uma ameaça. Eu acho que nunca nem esbarrei em banda de 'White' metal... e se esbarrei foi tão irrelevante que nem lembro. 

8) Uma das melhores características dos vídeos do seu canal é que você não se omite em passar suas impressões e opiniões, como no caso da resenha do "Quadra" do Sepultura. Isso já te trouxe algum problema em relação com os 'haters', por exemplo?

R: O Baile Do Capiroto nasceu para isso. Para ser sincero e falar o que achamos... pra fazer resenha em cima do muro... prefiro ficar quieto. E assim... eu não vou fazer um vídeo só para falar mal de uma banda ou de algum artista... prefiro gastar minha energia enaltecendo um trampo que acho foda. No vídeo do "Quadra" em específico, fiz uma crítica ao saudosista extremo... que ignora tudo que é novo... que não se propõe a ver as transformações da cena e tudo mais. Então as críticas que recebo normalmente são construtivas... ninguém nunca me ofendeu. E o canal é minúsculo né? Temos pouquíssimos inscritos e talvez por isso ainda esteja falando somente com as pessoas que compartilham os ideais do canal. Ainda não furei a bolha hahaha.



9) Quais são os planos futuros para o canal? Algum 'hype' forte para 2020? E fica o convite para vim conhecer nossos eventos aqui no estado, como o Otacílio Rock Festival, o Armaggedon Metal Fest, o Agosto Negro, entre tantos outros.

R: O futuro é ser mais produtivo. Divulgar mais bandas, debater mais sobre a música extrema e toda a cultura que a envolve. Cara... 'hype' forte pra 2020? Eskröta, Institution, Sangue de Bode, são exemplos de coisas excelentes que o 'underground' nos presenteou até aqui. 

10) Obrigado pela entrevista! Muito sucesso no Baile do Capiroto! Gostaria de deixar algum recado para nossos leitores?

R: Muito obrigado pela oportunidade, e parabéns pela iniciativa de vocês em produzir conteúdo sobre o 'underground'. FIQUEM EM CASA (se puder) e LAVEM AS MÃOS, nesse momento de COVID-19. Quem quiser conhecer meu trampo é só acessar youtube.com/bailedocapiroto e o mais importante, fortaleça as bandas que você admira, seja comprando 'merch' se tiver com um $ no bolso ou compartilhando o conteúdo das bandas nas redes sociais. E não entre na pilha do roqueiro conservador. 

Revisão por Carina Langa.

←  Anterior Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas

Postagem em destaque

Underground Extremo: O Portal da Música Extrema

Hail Headbangers! Finalizamos 2019 como um ano muito significativo para todos nós do Underground Extremo . Em termo de números, chegamos a ...