{lang: 'en-US'}

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Playlist de uma Semana Extrema #05

Hail Headbangers! Mais uma semana se finda e aproveitamos para conversar um pouco com nossos leitores sobre os trabalhos que ouvimos essa semana. Lembrando que nesse quadro falamos de sons internacionais, e apresentamos uma resenha super sincera, bem nos moldes de conversa de 'bangers' mesmo. Então vamos lá!

1) Children Of Bodom - "Hexed": Uma pena que o COB vai ser obrigado a passar por uma grande restruturação, porque esse é o trabalho mais interessante que eles lançaram a bastante tempo. Chegando ao seu décimo lançamento, normal que eles tenham uma fórmula consolidada, que aqui nesse álbum se renova ao mesmo tempo que volta as origens, parece um paradoxo, e na verdade é isso mesmo! A banda se renova, mas mantém aquela agressividade clássica do 'Death' Metal melódico como no single Under the Glass of Cover. Ao longo do trabalho, outros sons deixam essas ótimas impressões, como em  Platitudes and Barren Words e This Road. Na verdade, o trabalho é puro COB. Saudades de Hatebreeder? Então ouça "Hexed".


2) Pungent Stench – "Ampeauty": Um dos nomes mais fortes do 'Underground' que lançou algumas pérolas do extremismo como For God Your Soul ... For Me Your Flesh e Been Caught Buttering. Em 2004 quando lançaram esse trabalho, a banda estava em estágio quase de hiato, assim sendo nele você vai encontrar muitas influências de 'Rock' e até 'Blues', o que anos depois, ficou perceptível que muitas bandas mais extremas abordaram essa fórmula. Então mais uma vez Martin Schirenc foi pioneiro, ele é um cara que tem, no mínimo, um humor bem peculiar. Confira esse aspecto em sons como The Amp Hymn, Got MILF? e Same Shit - Different Asshole.


3) Annihilator – "Alice In Hell": Quando se pensa em clássicos do 'Thrash' Metal é claro que muitos nomes do Big Four e do Teutonic Four são lembrados, mas pensando um pouco fora do óbvio, qualquer lista bem feita irá apontar o trabalho de estréia da banda do guitarrista Jeff Waters. Para quem conhece, é chover no molhado! Peguei esse álbum para ouvir porque é sempre bom recorrer aos clássicos e sua abertura com uma 'intro' à violões de Crystal Ann dá espaço para a destruição Alice in Hell, um hino, mas não para por aí, W.T.Y.D. (Welcome to Your Death), Word Salad, Ligeria e Human Insecticide estão todas aqui e na minha opinião Randy Rampage foi o melhor vocal que já passou pela banda, a alcunha de clássico não é a toa e o CD abaixo também vai na mesma onda. Outro tesouro do metal extremo!


4) Autopsy - "Severed Survival": Chris Reifert, é deus! ... Não basta ser um baterista monstruoso e dono de um vocal podrão, o cara ainda por cima foi baterista do Death, e formou o Autopsy! 'Pow', só me resta dizer, obrigado!!! ... Nesse trabalho ainda temos uma aula de como o baixo deve soar no metal extremo e sem dúvida, o professor atende pelo nome de Steve DiGiorgio, um time desse, vai te ofertar sons como Charred Remains, Ridden With Disease, ah... Que se foda, todas são dignas de destaque! ... Um álbum obrigatório para todos os fãs do Metal da morte.


5) Iron Maiden - "A Matter Of Life And Death": Tem gente que diz que a banda é ótima, o que estraga são os seus fãs! Não concordo, até entendo o fanatismo que o Maiden exerce sobre a maioria de seus seguidores, e os mesmos podem deixar que álbuns não tão bons, sejam vistos como obras primas. Entretanto, justiça seja feita, desse Maiden do novo século, "A Matter Of Life And Death" é um dos melhores trabalhos e por mais que muita gente torça o nariz pra ele, acredito que ele seja uma continuação de "X Factor", só que agora com um vocalista bom de verdade, e coloca bom nisso! Como é apresentado em Brighter Than A Thousand Suns e The Reincarnation Of Benjamin Breeg. Falar da habilidade de cada membro é desnecessário, então ouça um trabalho mais progressivo do Iron e admire a maior banda de 'Heavy' Metal do Mundo! Um adendo, For The Greater Good Of God ao vivo é linda demais, e The Pilgrim é um show no quesito batera, com a destreza do Nicko, estão lembrados da idade dele? Pois é, tem gurizada aí que não faz a metade que ele faz! 


6) Black Sabbath - "Headless Cross":  Uma das idéias que me veio ao criar esse quadro foi: tem álbuns que eu odiava mas agora posso ouvir outra vez! Até não estranhe se daqui alguns anos os mesmo álbuns forem avaliados de outra maneira, mas enfim, porque estou dizendo isso? Porque eu odiava esse trabalho! Sério, só de pensar, meu Sabbath sem Ozzy ou Dio, não rolava! Eu pensava que porra é Tony Martin? Mas enfim, anos depois peguei pra ouvir e não é que o danado é bom... Claro, tem acento muito mais 'hard rock', só que longe das farofadas é um 'hard' sombrio e trevoso, mesmo começando por The Gates of Hell (faixa título). Cozy Powell dá show aqui em When Death Calls, que música linda! Kill In The Spirit World e Call Of The Wild compõem um dos melhores lados B do grande Sabbath. Vai pelo seu amigo Harley aqui, e dê uma chance pra esse disco, não é 'Top Five' da banda, mas no 'Top Seven' pode rolar hein?

Revisado por Carina Langa.

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas