Resenha #15: "Awake" - Mork

Até que ponto uma comparação pode ser benéfica para uma banda? Faço essa pergunta antes de  iniciar a resenha em si desse petardo, porque por muito tempo a horda Mork foi taxada como o Dimmu Borgir brasileiro, uma comparação com muito fundamento, sem dúvida, pois o talento dos músicos e o conhecimento na arte de criar arranjos, aliados a música extrema, nos remete ao grupo norueguês.

Só que, sem se tornar acomodada, a horda decide ir além e "Awake" é sem dúvida um trabalho muito superior aos últimos trabalhos feitos na cena 'Black' Metal, fazendo assim uma evolução de súditos para mestres.


"Exemption", lançado em 2011, já era um ótimo registro, mas o atual trabalho demonstra uma evolução do duo composto por Samhem (vocal, guitarra, baixo e teclados) e Foizer (guitarra), sendo eminente destacar inicialmente a parte temática, que foge dos padrões comuns, indo buscar na filosofia e no niilismo o que realmente a mensagem anti cristã tem que demonstrar, sendo que o próprio conceito é fruto de um trabalho de pesquisa e conhecimento da horda, aconselho a ouvir o álbum com encarte em mãos e durante a audição fazer uma leitura atenta da mensagem que está sendo transmitida, afinal de contas, não é essa a verdadeira 'missão' do Black Metal?

Um trabalho simples e por isso mesmo, muito eficiente na parte gráfica, sendo que a foto no final do encarte é sem dúvida muito mais contestadora do que freiras sendo molestadas.
Tudo isso iria por água abaixo se o som fosse uma porcaria, só que aí o Mork mostra que não veio a passeio, porque a mescla entre o 'Black' Metal mais agressivo com sinfonias mais grandiosas torna a audição do 'opus' algo extremamente prazeroso.

Untamed abre os trabalhos com um clima soturno típico para as verdadeiras hordas do metal negro, aí vem Sacrifice na sequência e esse som mantém o ritmo inicial, é impossível não se empolgar com o trabalho desempenhado pelo baterista convidado,  V. Digger. Three Transformations  é, com certeza, um soco na cara, sendo ríspida, bruta e perfeita.

Porém, como disse ao início dessa resenha, a banda não se acomoda e parece não ter conhecimento de nenhuma amarra às suas características musicais, então casa-se muito bem com a proposta do som músicas como Infirmita Carnis, que além de ter um vídeo muito bem produzido, trás a participação de Ana Cláudia nos vocais, que deu um clima sorumbático e agonizante, como o metal extremo exige.
Lobos apresenta-se como uma faixa instrumental muito bem executada e ao lado de Human abrange um vasto vocabulário musical.


Evolução, sem dúvida, é o que muitos procuram, porém poucos conseguem. Então, querem entender o que vem a ser o futuro da cena extrema? Obviamente a audição de "Awake" é obrigatória, desperte para a essência do metal extremo nacional!

TRACKLIST:
1) Untamed
2) Sacrifice
3) Infirmita Carnis
4) Svatan
5) Three Transformations
6) Human
7) Lobos
8) Apostaticos
9) Preached By Death
10) Awake

FORMAÇÃO:
Samhen – vocal e guitarra;
Foizer – guitarra.


Revisado por Carina Langa.

←  Anterior Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas

Postagem em destaque

Underground Extremo: O Portal da Música Extrema

Hail Headbangers! Finalizamos 2019 como um ano muito significativo para todos nós do Underground Extremo . Em termo de números, chegamos a ...