Resenha: Eight Spears - Dark Tower


As vésperas de lançar Obedientia   me toquei que não tinha resenhado o trabalho anterior da Dark Tower o que é um baita vacilo da minha parte porque essa é na atualidade uma das bandas que eu mais escuto da cena Extrema carioca, então segue a resenha do excepcional Eight Spears.

Os nomes por trás da horda são Flávio Gonçalves - Vocais , Raphael Casotto - Guitarras, Rafael Morais - Guitarras, Rodolfo Ferreira - Baixo, Backing vocals, e Jean Secca – Bateria, todos muito técnicos em seus instrumentos,e conseguem de maneira muito homogênea criar um hibrido entre o Black/ Death e pasmem com algumas mínimas influências de progressivo, que é na verdade um reflexo da pericia dos músicos.


Algumas participações especiais dão um brilho a mais para esse trabalho Felipe Eregion do Unearthly esta presente em Destroy the House of Há'Shem",sintomaticamente a minha faixa favorita , Guilherme Sevens da Painside( outra puta banda carioca) esta presente em The Legion Marches On, essa canção ao vivo deve ser brutal demais Rodrigo Garm do Pagan Throne esta presente em Blood Harvest"; e Pedrito Hildebrando do grande Vociferatus está presente na faixa titulo do álbum

E tem ainda uma intro pesada e climática que é Eight Paths – Initiation, Burn the Pyre como destaques, um registro gravado e mixado por Fernando Campose masterizado no mesmo estúdio do Rotting Christ o que soube deixar a sonoridade bem brutal, e oisso tudo em uma das melhores capa de 2016, simples assim.
Se Obedientia vier nessa qualidade teremos um dos melhores trabalhos de 2019 podem apostar

DARKTOWER - Eight Spears (Álbum)

1. Eight Paths - Initiation
2. Destroy the House of Ha'shem
3. Burn the Pyre
4. The Legion Marches On
5. Nameless Servants of Damnation
6. On Darkest Wings
7. Haeretic
8. Eight Spears
9. Blood Harvest



←  Anterior Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas