Entrevista #29: The Damnnation

Que o Metal nacional é um celeiro de grandes talentos não é novidade para ninguém e nesse meio cada vez mais competitivo, se destacam as bandas que conseguem unir talento, garra e uma dose de personalidade que as tornem diferenciadas, perto de tantas outras. Visando tais desafios, mas com uma grande bagagem musical, surge a banda The Damnnation. Confira nossa entrevista exclusiva com esse emergente representante do Nosso Underground:

1) Hail! Inicialmente queremos agradecer a entrevista. Sabemos que todo início de banda é super corrido, então dedicar um tempo para a entrevista nos deixa bastante honrados. The Damnnation surge como uma banda nova no cenário extremo brasileiro. Poderiam nos contar como foram esses passos iniciais para a formação e a escolha pelo formato power trio e aproveitem esses espaço para apresentar o The Damnnation para nossos leitores.


Renata Petrelli: Olá, nós que agradecemos pela oportunidade, de neste começo já poder ter espaço para apresentarmos a banda, ainda mais para o público de vocês que é bem vasto =).
Basicamente o formato de trio vem pela praticidade, tanto na logística quanto nas decisões. Além disso, apesar de eu ser guitarrista, gosto do baixo proeminente e com uma única guitarra o instrumento aparece mais.
A banda é: Eu, Renata Petrelli na guitarra e voz, Camis Brandão no baixo e voz e a Cynthia Tsai na bateria e voz.


2) O The Damnnnation, anunciou o lançamento de um 'single' e futuramente um EP. Desde a sua saída da Sinaya e a formação de uma banda nova, para nós que estamos de fora, parece que foi muito rápido. O quanto desse material já estava pronto? E como foi o processo de composições para o vindouro trabalho?

Renata: Eu já tinha 15 músicas compostas sim, daria para um CD e meio quase, rs. Algumas delas são de antes de eu estar na Sinaya. O que fiz foi ajustar algumas coisas para o formato de trio, puxar o baixo mais para frente já que não teremos uma segunda guitarra para segurar alguns momentos, deixando assim o baixo ter mais presença. Também mudei a afinação. Gosto mais da afinação Ré ou Drop Dó, que são as que estamos usando no EP.

Acabei fazendo algumas 'demos' (bem cruas) e mostrei para as meninas. Fizemos alguns ensaios e junto com o Rogério do Flight Studio, nosso produtor, mudamos alguns detalhes de estrutura principalmente e lapidamos algumas coisas de arranjo na hora mesmo de gravar as guias. Fiz as letras, a Camila me ajudou a encaixar a melodia de voz (já que sou nova nisso, rs) e a Cyn compôs a bateria .

3) Falando um pouco da música World's Curse, ela será lançada dia 10 de outubro e já tive o prazer de ouvir a mesma e posso afirmar que além de muito pesada ela vai para um caminho diferente dentro do metal extremo, sendo difícil de classificar em apenas um gênero específico. Você concorda?

Renata: Sim, concordo. A gente não está muito se prendendo a estilos na verdade. Acho que depois de algumas coisas que passamos, queremos fazer o som e sairmos satisfeitas com ele, entende? Fazermos o que nos dá vontade, prazer. Temos influências, é claro. Das mais diversas e vocês vão encontrá-las por aí, mas não queremos soar como ninguém. Só como nós mesmas e deixar possíveis encaixes de gênero musical para quem ouvir.


4) Recentemente foi revelado que o EP de estréia será chamado de “Parasite”. O que pode nos adiantar do mesmo, em aspectos de gravação, e ele sairá em formato físico?

Renata: O processo de gravação está sendo bem tranquilo, com uma vibração e energia bem boa! O Rogério é um cara que tem ótimas sacadas e todas nós estamos bem empolgadas, principalmente porque o processo todo está contínuo. Isso é fundamental para manter a 'vibe' de gravar. 

Sim, a ideia é sair em formato físico. Vamos ver o que acontece nos próximos meses.


5) Teremos nesse trabalho a sua estréia como vocalista. Foi difícil se adaptar a essa nova função ou já era um desejo seu, ou cogitou algum nome como vocalista da The Damnnation?


Renata: Na verdade sempre gostei de cantarolar e tocar ao mesmo tempo bandas que eu curto, mas não tinha visto como uma possibilidade mais... séria (?) até então. Acabei virando por necessidade, rs. Mas estou gostando da ideia. Lógico que é um eterno aprendizado!

Sim, chegaram a passar alguns nomes pela minha cabeça. Mas pensei mais na praticidade do trio e que seria uma boa deixa para eu sair da minha zona de conforto .

6) Nervosa, Losna, Eskrota, entre tantas outras bandas com mulheres na formação, provam o que deveria ser senso comum, afinal de contas um estilo que prega a liberdade, não pode se prender a pensamentos sexistas, porém ainda nos deparamos com posicionamentos muitas vezes fundamentados em machismos. Na sua carreira profissional, você já passou por uma situação desagradável pelo fato de ser mulher e ter uma banda de Metal?


Renata: Sim, já tiveram várias ocasiões mas nem tem o porquê dar tanto ibope. Prefiro focar meu tempo fazendo música, fazendo nosso corre e mostrando com ações, que é nosso som. De resto, só lamento mesmo, rs.


7) Quando teremos a chance de ver a The Damnnation ao vivo? E quais são as mídias sociais da banda?

Renata: Como estamos nos concentrando na gravação do EP até final do ano, a ideia é fazermos nossa estréia já com o EP em mãos. Então provavelmente será em fevereiro ou março de 2020. Enquanto isso, estamos preparando esse 'single' e um clipe desta música para ir aquecendo os ouvidos do que está por vir.

Instagram: @thedamnnation.official


8) Obrigado pela entrevista! Gostaria de deixar algum recado para nossos leitores?


Renata: Gostaria de agradecer em nome de todas da banda por todo o apoio que muita gente tem nos dado. É muito importante e deixa a gente mais confiante e na “pegada” de fazer acontecer de novo. Fiquem ligados nas redes sociais que nas próximas semanas terão novidades =).

Revisado por Carina Langa.

←  Anterior Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas

Postagem em destaque

Underground Extremo: O Portal da Música Extrema

Hail Headbangers! Finalizamos 2019 como um ano muito significativo para todos nós do Underground Extremo . Em termo de números, chegamos a ...