Bisho Extreme Festival: A cruz só Ilumina quando queima, uma noite de profanações em Tubarão SC


Um dia ainda quero escrever sobre o que é ser Headbanger, não conheço os outros estilos musicais a ponto de dizer como eles se relacionam com seus públicos mas com uma estrada de mais de 20 anos na cena posso dizer que ser Headbanger é algo diferente, pois o verdadeiro fã de musica pesada, não fica no sofá, ele vai aos shows, apoia as bandas do seu gosto pessoal, e faz esforços e sacrifícios cada vez maiores para manter o estilo que faz parte da sua vida vivo.

Por sorte conheço muitos desses verdadeiros headbangers,e Gustavo Mendes organizador do evento Bisho Extreme Festival pode bater no peito e dizer eu faço parte da cena. A segunda edição do Bisho deu um salto de qualidade poucas vezes visto no que se refere a eventos, não que a primeira edição tenha sido ruim, longe disso porém uma evolução natural, seja na parceria com a Sangue Frio produções ou até mesmo em todo o processo de divulgação que ocorreu meses antes do evento, a palavra que se encaixa aqui é maturidade.

O Local o Congas é sem duvida um reduto da musica, mesmo não sendo uma casa voltada apenas para o Metal é nítido o esforço dos proprietários em receber bem seu publico, some a isso uma qualidade de som, que impressiona as bandas que ali tocaram , é até triste o fato de que qualidade ainda impressiona, mas enfim importante é que o Bisho prometia ser o evento que abalaria a região e realmente o foi

Antes de focar nas bandas, quero fazer outro pequeno adendo, a presença de músicos de várias bandas, ajudando a quebrar aquele estigma só vou quando minha banda vai tocar, não citarei nomes aqui pois poderia esquecer alguma bandas mas esse foi outro ponto destacável.

Sobre as bandas a primeira a adentrar os palcos foi a banda local Distressed, sendo formada por músicos carimbados da região não foi para mim nenhuma novidade um show tão perfeito, eles estão gravando um álbum e posso afirmar passou da hora já pois quem conhece a banda sabe da capacidade técnica dos caras, apresentando um Death/ Thrash Metal com destaque para Hellvalley, March of the zombies e o cover de Cracass com Heartwork



A Lethal Sense é uma velha conhecida para quem curte podreira nacional, mesmo com seus vinte anos de carreira eles possuem uma discografia não muito grande, e talvez pela vibe do show optaram fazer alguns covers, muito bem executados por sinal como no Caso do Six Feet Under, impressionou a todos o vocal não sei de que caverna ele saiu mas o cara parece um neandertal com seus rugidos, impressionante, espero ver a banda mais vezes mas agora entendi o porque eles tem uma seleto grupo de fãs no RS 


Precisamos falar da Viletale, quem acompanha o blog sabe que já resenhamos ¾ da discografias do cara, e sempre elogiamos o que eles fazem no estúdio, a forma como suas musicas são criadas, com uma grande variação de vocais, arranjos muito inteligentes difíceis de definir e um conceito literal próprio que eles sabiamente batizaram de Horror Metal.

Antes deles entrarem no palco, chamamos os caras para fazer uma entrevista, ( em breve no nosso canal do Youtube) onde podemos conhecer mais da banda, sobre a responsabilidade de ser conhecida como um dos novos grandes nomes da cena catarinense, além de detalhes do primeiro álbum completo da banda que sairá esse ano , todos de humildade e carisma tremendo até entrar no palco, pois ali a banda foi literalmente possuída, com uma presença de palco em alguns momentos teatrais com os músicos utilizando lentes brancas, e coletes da banda, porém o visual é apenas uma parte do que a Viletale representa, suas musicas são no mínimo aterrorizantes no melhor sentido da palavra sendo que foram revistados os trabalhos como o excepcional From The Dephts of mind como Arise  o Guardian (que fechou a apresentação de forma marcante), The shaterring Existence, Do Suicide of Dei veio musicas como a faixa titulo uma musica que ao vivo fica ainda mais brutal. E Santificada seja a carne , e ainda tivemos amostras de novos sonso como Preggophile , em um show com pouco mais de uma hora a Viletale não s impressionou como justificou o porque ser vista como um fenômeno, Cthulhu se orgulha de vocês. 


Para encerrar a noite de profanação não consigo pensar em nada melhor do que Black Metal mas não uma horda qualquer e sim a Impiedoso , só esse nome já diz tudo, quem acompanha nosso blog sabe que esse showdo Bisho estaria marcando a estreia de um novo vocal que veio diretamente da horda ar da desgraça, e se adaptou de maneira bem natural, ao estilo que a horda de Jaraguá do Sul desenvolve, assusta como Nahash toca com uma tranquilidade,e Aldebaran com perdão do trocadilho é impiedoso nas peles de sua bateria ,Reign in Darkness” é um dos melhores trabalhos do ano passado e dele que tivemos Pelas desgraças de Deus, Fire , Domination e claro um dos hinos do metal negro Demônio da Sedução um ode a Lilith Minha deusa satânica.



Com um misto de satisfação e orgulho presenciamos mais uma noite macabra, vida longa ao Bisho Extreme Festival e em 2019 estaremos lá pelas desgraças de Deus marcharemos até a destruição do sagrado.

Obs: mais fotos estarão disponíveis no blog 

←  Anterior Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas