Resenha #172: Sociedades Secretas (2018) - Cérebro de Galinha

A internet é hoje uma ferramenta que se for usada de maneira correta pode ser ótima para divulgação de bandas, criando assim, uma forma para se fortalecer na cena underground. Digo isso porque assim como muitos dos nossos leitores, eu vim a conhecer o Cérebro de Galinha por um vídeo que 'viralizou' com eles tocando em um lugar abandonado, mas com uma garra admirável! Pois bem, erra quem pensa que a banda fica só nisso, pois Torrada (guitarra), Cego (vocal), Suco Gástrico (bateria) e Mort (baixo) vão na 'vibe' do faça você mesmo e assim sendo,  lançaram o seu 'debut'  "Sociedades Secretas" (2018), que não é um primor de técnica e quer saber? Que se foda! Eles tocam com vontade, sendo dessa forma uma banda orgânica, o que é muito mais legal do que ultra 'blasting' brutal 'death' metal.



Tem uma história muito foda dessa gravação, pois a banda teve que se deslocar para São Paulo pegando um 'busão' mais de 2000 km e todo esse esforço valeu a pena, claro que sim, pois ao longo do trabalho "Sociedades Secretas" você vai levar bem na fuça tudo o que eles querem lhe dizer.

Ameba é um 'hc thrash' com uma mensagem bem direta! A faixa título vem na sequência, Sociedades Secretas batiza o álbum e você mal repara que trocou a faixa, devido o fato delas serem bem amarradas. Hipócritas é, sem dúvida, a representação da banda mostrando o dedo do meio para meio mundo e Paraíso Pobre vem como um 'thrash' rápido e certeiro.

Não dá para fazer um faixa a faixa e nem destaques porque o trabalho, como disse acima, é bem direto e homogêneo. Sabe aquele tapa na orelha que álbuns clássicos de 'thrash' nos davam sem tempo para respirar? Então... É bem por aí!

Nova Ordem Mundial, Lepra e Brasil Faminto são sons que me remetem ao Ratos de Porão, até mesmo a capa me remeteu ao trabalho "Brasil". País Falido conta com a presença de Renato 77 do Hardcore por Ódio e me deu um baita gatilho ao imaginar o quanto o Cérebro de Galinha deve ser brutal ao vivo.



Em pouco mais de meia hora a mensagem é direta e ácida. Um trabalho que ainda se faz necessário, pois mesmo sendo lançado a dois anos, sua temática é muito atual. 

TRACKLIST:
1) Ameba
 2) Sociedades Secretas
3) Hipócrita
4) Paraíso Pobre
5) Aceitar ou Renegar
6) Nova Ordem Mundial
7) Lepra
8) Mundo Em Caos
9) País Falido (Participação Renato 77 - Hardcore por Ódio)
10) Benção Divina
11) Brasil Faminto
12) Juventude
13) Corrupto
14) Reis do Silêncio
15) Diário de Um Preguiçoso
16) M.I.D.I.A.
17) Isso Sim é Difícil
18) Conflito


FORMAÇÃO:
Torrada - guitarra;
Cego - vocal;
Mort - baixo;
Suco Gástrico - bateria.


Revisado e editado por Carina Langa.