{lang: 'en-US'}

sexta-feira, 29 de maio de 2020

Década do Metal #04

Salve Headbangers!
Confira agora mais uma edição do nosso quadro que tem por intuito provar que essa última década foi muito produtiva para o Metal. Para quem nunca viu nenhuma edição, nossa idéia aqui é avaliar os principais lançamentos dessa década e podemos até, no futuro, expandir para as outras décadas. Sem mais delongas, vamos lá:


1) Tool - "Fear Inoculum"


Era meio óbvio que o Tool estaria nessa lista, para falar a verdade, todas as bandas dessa edição são conhecidas por experimentar muito na sua carreira e, sinceramente, algumas delas demoraram para me convencer, e o Tool é uma delas. "Fear Inoculum" vem cobrir um espaço de tempo de 13 anos com a difícil tarefa de se posicionar entre grandes nomes da discografia da banda como "Aenima" de 1996. Erra bastante, quem tenta classificar a banda em uma vertente de som, aí está o grande mérito do Tool, passeando por estilos, tendo o progressivo como uma das influências. Pneuma, por exemplo, tem mais de dez minutos e não incomoda, o mesmo vale para 7empest e as viagens instrumentais de Legion Inoculant e Chocolate Chip TripI, um som para você ouvir muitas vezes e começar a perceber a grandiosidade do trabalho. 



2) Opeth – "In Cauda Venenum"


Ah... Ó Opeth, como eu te odiei! Uma das bandas que tinha tudo para levar o 'Death' Metal para um outro patamar, decidiu fazer um som de 'prog rock' dos anos 70. Tudo bem, a banda é deles e por muitas vezes eles já deixavam claro que faziam trabalho para eles. Então para ouvir um novo trabalho do Opeth eu já fui com o espírito de lá vem bosta, mas a capa já entregava algo diferente. Não, eles não voltaram a fazer Metal extremo, mas estão dosando peso nas composições. Não é uma volta ao passado, mas um respeito ao que foi feito. Dignity e Heart in Hand são opressivas e pesadas ao padrão do novo OpethLovelorn Crime é perfeita! Um conselho, largue de ser preconceituoso e idiota como eu fui e ouça um dos melhores trabalhos de 2019.


3) Jinjer - "Macro"


Sabe aquele pré conceito idiota que eu citei no Opeth? Ele se aplica também ao Jinjer, mas em minha defesa ao indefensável, sempre ouvi que essa era uma banda de 'Metalcore', estilo que não tenho a menor simpatia, por isso mesmo, o trabalho dos ucranianos não me fazia a cabeça e por mais que conseguisse perceber que Tatiana Shmailyuk fosse uma grande vocalista, algo não me atraía. Pois bem, "Macro", lançado em 2019, como os outros dois álbuns já citados nessa lista, também são, desse ano, é uma continuação do EP "Micro" ( tá aí, boa idéia, rsrsrs), e é visível que eles flertam, e muito, com o 'Prog' Metal, com o 'Groove', com o 'New' Metal, com o 'Death', enfim, eles não se privam! Destaques para On The Top, Pit of Consciousness e a técnica absurda de The Prophecy. Não, eles não são a salvação do metal, alguém ainda compra esse papo? Mas uma banda de inegável talento, ouça. 


Revisado e editado por Carina Langa.

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas