Playlist de uma Semana Extrema # 03


Hail Headbangers, mas uma semana se passou e não é surpresa pra ninguém que na playlist de nossos redatores toca Heavy Metal de altíssima qualidade, e nesse nosso mais recente quadro nos resenhamos esses matérias com opiniões bem sinceras, sera que grandes lançamentos passaram no teste do tempo? confira :

 Avantasia: the Metal Opera



 Hoje sou aficionado por Metal nas suas vertentes mais extremas porem quem me direcionou a ouvir hHavy etal foram as bandas de power como Viper, Angra Helloween Stratovarius , Hammerfall ,Edguy entre tantas outras, porém com o tempo fui enveredando para o Death Metal , Thrash , Black mas em 2001 quando foi lançado Avantasia, senti a mesma vibração de ouvir trabalhos como Destiny ou Angels Cry porque esse não é apenas  um dos melhores trabalhos do power metal como até hoje é viciante, méritos é claro para Tobias Sammet, que soube compor uma obra rica com letras inteligentes e os convidados, ah meu amigo que é quem do power metal mundial estava presente aqui Henjo Richter, Markus Grosskopf, Alex Holzwarth, Michael Kiske, David DeFeis, e o maior vocalista que o Brasil já teve Andre Matos entre muitos outros.
Serpents in Paradise, Avantasia Sign of the Cross são hits eternos , Não tem jeito e ouvir Avantasia e imaginar o reino magico de Avalon , magos e duendes, os outros trabalhos do Avantasia não me chamaram tanto a atenção como essa estreia .


Korn:  The Nothing



Depois de ler uma resenha do meu grande amigo Sol Portela fiquei tentando a ouvir esse novo trabalho do Korn, já deixando claro que nem de longe é uma banda que eu gosto, muito pelo contrario, o primeiro trabalho me chamou a atenção o auto itntitulado mas sempre senti falta do peso nas musicas, Porém com disse a leitura que o Sol fez desse trabalho me fez primeiro prestar atenção nas letras e ao saber todo o inferno astral que o vocalista Jonathan Davis passou comecei a perceber que ele exorciza seus demônios no Korn e por isso mesmo esse trabalho e tão pesado, sim isso mesmo pesado, desesperado e sombrio
Uma gaita de fole, que é algo bem nostálgico para os fã abre o trabalho The End Begins é uma boa intro prestando atenção na letra note como ela é inquietante, Cold já era conhecida e gostei dela pelo peso e a cozinha da banda que não é virtuosa mas cumpre seu papel.
You’ll Never Find Me” e The Darkness is Revealing” mostram que a banda amadureceu, são faixas que irão matar os fãs de alegria para mim são boas mesmo não gostando da quebra de ritmo para momentos mais leves.
Idiosyncrasy”é na minha opinião aquela faixa que vale o Álbum pesada como a tempos não se ouvia em trabalhos do famigerado New Metal, se você assim como eu nunca deu muita atenção para o Korn , ouça esse trabalho e comece por essa poderá rever seus conceitos , e mesmo não curtindo nenhuma musica tenhamos que admitir o senhor Davis é um baita artista.


Cannibal Corpse Tomb of Mutilated



Por esses tempos esse trabalho fez aniversário, na verdade só uma desculpa para poder ouvir um dos melhores trabalhos do Death Metal mundial. A polemica da capa, é apenas um aperitivo para o melhor trabalho vocal de Chris Barnes, que nos apresenta o hit ( sim Death Metal tem hit) "Hammer Smashed Face", "I Cum Blood", "Addicted to Vaginal Skin parece uma The Best of da banda todas elas faixa sempre presente no set list completavam a formação na e´poca desse trabalho Alex Webster no baixo, Paul Mazurkiewicz na bateria Jack Owen e Bob Rusay. 1992 foi um dos melhores anos para o Death Metal mundial, e esse trabalho é um dos pilares do estilo, clássico absoluto.

Pantera: Cowbows from Hell



 O ano é 1990, se for contar a discografia completa esse é o quinto disco do Pantera o segundo com Anselmo nos vocais, e sim ele é um cuzão mas separando a obra da pessoa o que temos aqui é um assalto metálico que nunca pode ficar de fora da lista de álbuns mais influentes da historia, ouvir esse álbum hoje é possível listar de onde milhares de bandas da atualidade tiram suas influencias. A faixa titulo é um dos momentos mais Heavy do Pantera, na sequencia Primal Concrete Sledge é o murro na sua cara ,“Heresy é um dos melhores sons do pantera na minha opinião.
No mesmo álbum temos a balada suprema Cemetery Gates e a violência de Domination ,Shattered enfim um álbum que se deixa ouvir do começo ao fim, quantos trabalhos lançados hoje em dia podemos dizer isso?


Judas Priest : Jugulator 



Eis um álbum difícil de resenhar, em primeiro lugar Painkiller é um dos meus álbuns de metal favorito de todos os tempos e ao contrario de muitos outros fãs eu não abomino os trabalhos de Tim Ripper Owens, só que nesse pacote desse trabalho o moço contou com a volta de Scott Travis na bateria, sim eu sei aqui o Judas ta muito distante do som que caracterizou a banda e confesso que nas primeiras audições também não morri de amores pelo mesmo, mas hoje da pra dizer que puta trabalho de Heavy Metal temos aqui meus amigos começando por: Bullet Train, Burn In Hell e finalizando com Cathedral Spires, Ripper saiu do Judas de uma maneira não tão legal, mas temos aqui um Judas Metal como sempre porém muito mais agressivo


←  Anterior Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas