Cobertura de Evento: Insano Brutal Fest II: Ainda acreditamos no Underground


A Amuhell tem na sua formação músicos da cena, que sabem muito bem que ficar apenas na frente do computador reclamando da cena não vai resolver nada, então o negócio é trabalhar , com esse intuito formou se o festival Insano Brutal Fest. E mesmo sendo uma produtora nova a Amuhell é responsável por duas edições do Insano Brutal , o primeiro ocorreu na cidade de Tubarão e com a ideia de ser um festival itinerante a segunda edição ocorreu no Colher de Chá uma grande casa de eventos que já trouxe para região o Sepultura ( tem nossa cobertura do show aqui no site)


Para essa segunda edição do Festival, tivemos cinco bandas: Obscurity Vision, Dark New Farm, Alkanza(headline) Silent Empire e Deadnation segue como foi um pouco dos shows:

Obscurity Vision : A cada show que assisto dessa banda eu me pergunto porque o Underground as vezes é injusto, pois a postura de palco a qualidade das músicas a agressividade são puramente Black Metal, muito melhor que milhões de pseudo hordas gringas que só ganham destaque porque são estrangeiras. Enfim fato é que A banda está divulgando Dark Victory Day e tenho que confessar que acredito que as músicas ganharam muito mais peso ao vivo,
Com destaque para: Obscurity Creation, I can see, e Aprodeçendo ( na minha opinião a melhor) e violência a mudança na formação foi bem benéfica para a banda sendo que estão totalmente entrosados e todos ótimos músicos.


Dark New Farm:
na verdade é muito difícil falar da própria banda e essa não era nossa intenção original, mas como não encontrei nenhum voluntario, vou fazer uma auto critica , não por ser minha banda espere algo isento de verdade. Internamente existia uma pressão nossa para esse evento afinal de contas, a primeira apresentação no Insano não foi uma das melhores da banda, e tivemos uma resenha bem sincera do Vinicius colunista do site o Subsolo, curiosamente ele entrou para dark semanas depois.
Então com esse objetivo entramos no palco com sangue nos olhos, nesse mais de um ano de banda tivemos apresentações boas medianas e marcantes e fico feliz em dizer que o Insano foi um do pontos mais marcantes isso porque mesmo sendo um festival mais extremo os covers de new principalmente Korn foram bem aceitos, e o melhor é sem duvida tocar os sons autorais Madre L.O.V.E La pátria la fabula e a estreia de Collision como é uma tradição da Dark todas as músicas tocam em temas espinhosos e dessa vez o foco foi os perigos do álcool na direção, por mais que o estilo da banda remeta a metal alternativo o publico recebeu muito bem e o mais gratificante for ver músicos de bandas que eu admiro como Silent Empire e Alkanza na audiência,afinal ir em um evento não deve se consistir em apenas tocar e ir embora não é?



Alkanza: Ser Headline de um evento é sem duvida uma responsabilidade, pois isso não afeta a Alkanza que depois de efetivar o seu posto de baterista com o virtuoso Artur (também baterista da Orkane), na verdade essa é uma das melhores formação da banda, que é liderada por Thiago Bonazza no baixo, sendo que atualmente conta também com Pedro e Renato nas guitarras e backing vocals. Formação estabilizada a banda esta em estúdio preparando o que será o seu terceiro trabalho, que ainda não teve o seu titulo revelado, mas as apresentações já mostraram uma pequena prévia do que esse trabalho irá trazer, e posso afirmar que o Thrash Metal da Alkanza recebeu uma boa dose de Death metal sueco sendo que muitas vezes a velocidade e o impacto das musicas são impressionantes, imagine um encontro entre The Haunted, com Sepultura antigo será mais ou menos por ai a sensação que passa as novas composições como: Vala ou Viela , Moendo ossos , Primitivo Canibal e Enganando o Destino. Já disse em outras resenhas e volto a repetir se tiver a chance assista uma apresentação da Alkanza e saiba o que é uma banda que toca como se fosse o ultimo show de suas vidas


Silent Empire: A produtora Amuhell decidiu trazer uma banda da região e que escolha sabia foi trazer a Silent Empire, o primeiro destaque vai para Ivan Agliati uma verdadeira lenda do Underground, sendo que é redundante dizer da importância dele para a cena, mas não estamos nos referindo a uma one man band e sim um grupo e que grupo amigos, entrosado e altamente técnico já assisti algumas apresentações do Silent e arrisoc dier que esa foi uma das melhores, com um set matador e uma presença de palco muito marcante com destaque para Aline Illadi , quem leu sua entrevista no subsolo sabe da garra e força da moça, ( http://www.osubsolo.com/2017/05/especial-superacoes-do-underground-02.html) em um set com Self Persevation is the Key, Hail The Legion e Destroy Doctrine Divine simplesmente um massacre.



Deadnation: Para encerrar o festival subiu aos palcos a Deadnation, a banda é uma das poucas representantes do Metal catarinense no Maniacs Metal Meeting desse ano, e se alguém não sabe o porque da escolha dessa horda para o cast, eles comprovaram ao vivo. Muito do que disse na resenha do Silent se encaixa aqui, a Deadnation fez uma apresentação impressionante, desde os covers como o clássico Casket Garden do Dismember em uma versão ainda mais infernal até Redrum primeiro som lançado pela banda de Tubarão. A banda está trabalhando em um cd de estreia que deve sair ano que vem, o que deixa o hype lá em cima.


Fica aqui além do nossos agradecimento , a nossa admiração, é muito fácil dizer que a cena está morta porém fazer algo para que esse quadro se reverta é o mais complexo e por isso mesmo poucos fazem mas eventos como O Insano Brutal  Fest nós da a certeza que o que depender dos verdadeiros Headbangers o Metal nunca Morrerá

←  Anterior Proxima  → Página inicial

Total de visualizações

Baphomet

Baphomet

As mais lidas